Salão do Livro 2010

Este fim de semana estive ausente de minha cidade natal porque fui até à capital prestigiar o 6º Salão do Livro do Tocantins. Esta é uma bela iniciativa do governo estadual que reúne durante dez dias na Praça dos Girassóis (se não me engano a segunda maior praça do mundo, perdendo apenas para a Praça Vermelha em Moscou), um salão com venda de livros, apresentações teatrais e musicais, além de palestras e shows artísticos.

Os homenageados do salão este ano foram Carlos Drummond de Andrade e Odir Rocha.
Como eu disse, é uma iniciativa muito bacana que de uma maneira ou de outra acaba por influenciar o hábito da leitura em nosso país. Obviamente isso não é suficiente, mas pode ser considerado um primeiro passo para que a triste realidade de alienados do Brasil mude.

Peço desculpas pelo tique atrasado, afinal teria sido mais interessante tratar desse assunto antes do evento começar do que agora que já acabou, e a próxima edição (sétima) acontecerá apenas em 2011. Mas ainda é válido, pois posso passar ainda um pouquinho do delicioso gosto que é estar num lugar assim!!

Para ver a galeria de fotos, ou quem mais passou por lá, é só dar um pulo no site: http://salaodolivro.to.gov.br/

5 comentários:

Postar um comentário

3 comentários:

Postar um comentário

Onda vai, onda vem


Antigamente, quando eu tinha tempo sobrando pra assistir TV, ouvir rádio e etc., eu gostava de dar opinião sobre tudo por estar sempre mais ou menos informada. Mas a vida adulta me chama (rs), e por esse motivo meu tempo diante da televisão reduziu muito - rádio eu não ouço mais. E o único momento que tenho é das 17:30 às 18:40 aproximadamente, período de intervalo entre meu emprego e a faculdade.

E justo nesse período é exibido a novela das 6 e Malhação(!!!!). Tudo bem, sei que já passei da idade disso, que assistir uma temporada é suficiente por dez anos porque o roteiro não muda. Mas por outro lado, podemos enxergar as coisas de maneira mais crítica.

E o que tem me chamado atenção nessa nova temporada (de Malhação) é o apelo desesperado para as coisas que fizeram sucesso a anos atrás. Está certo isso é que nem Moda, de repente calça de cós alto começou a fazer um tremendo sucesso como se fosse a descoberta do século. Mas é deprimente o que essas novas bandinhas tem feito com os "grandes clássicos" dos anos 80 e 90 (eu acho).

Dando um olhadinha lá na Wikipédia, tem um pedacinho que diz quais são as faixas do último Cd Nacional da série e vejam que encontrei 'Rádio Pirata' do RPM, 'Meu erro',dos Paralamas do Sucesso, 'Lanterna dos Afogados', 'Ciúme', 'Sonífera Ilha', 'A fórmula do amor', 'Serão extra', e o que dizer do 'Só você' que o Fiuk  regravou estragou??

Tem outras lá mas não sei dizer se são regravações ou não e também não fui conferir, né pessoal?  Mudanças sempre são bem vindas -embora eu não às aprecie muito- quando teoricamente são para melhor. Mas o que vejo são apenas pessoas que esqueceram de sair da adolescência e cortam seus cabelos de modo ridículo, enfeitam a voz até não poder mais, põe uma roupinhas escronchas e super coloridas (várias delas imitando aquelas dos anos 80 que eu via nos filmes da Sessão da Tarde quando era criança) e a garotada assiste a tudo isso (se) achando o  máximo. Toda essa preocupação externa, mas ainda assim faltando o principal: conteúdo.

O que me preocupa na coisa toda é o futuro. A maioria desses adolescentes parecem acreditar que essa fase durará a vida inteira, e que seus papais também estarão por ali. É difícil imaginar essa sociedade em crescimento como um grupo de adultos responsáveis e coesos.

Eu sinceramente gostaria que os tempos voltassem a ser como na época que minha mãe conta, havia limites e mesmo assim as pessoas eram mais felizes e saudaveis. Mas atualmente isso parece improvável, porque os interesses são outros. Quem possui o poder de influenciar as massas não está interessado em pessoas felizes e saudáveis, mas sim no que podem faturar sobre elas.

Eu defendo o equilíbrio em nossa vida. Devemos experimentar um pouco de tudo, até de cultura inútil, mas a partir do momento que isso passa a ser o 'certo', vejo que temos de rever alguns conceitos. Há uns três anos atrás eu acreditava que aqueles tempos de rigidez excessiva pudesse voltar - adolescentes de hoje (ou amanhã) que tentariam impor aos seus filhos o limite que não receberam- mas acho que já está na hora de eu procurar novas teorias sobre o futuro...

10 comentários:

Postar um comentário

Que bacana!!

Ganhei mais selos!!!


O primeiro deles foi da Maria Alice do BLOGAT, a quem eu pelo carinho dedicado!
E o segundo, terceiro e quarto vieram da Ju, dona do Merda, falei! Os dois primeiros (segundo e terceiro) têm como regra apenas repassar para outros dez blogs. Já o quarto, como foi dito pela Ju, "é um desafio. que consiste em mostrar a sua relação com os pecados capitais, de acordo com as definições abaixo:"

" * Gula: Comer a toda a hora e/ou além do necessário;
* Avareza: Cobiça de bens materiais e/ou dinheiro;
* Inveja: Desejar atributos, status, posses e/ou habilidades de outra pessoa;
* Ira: É a junção dos sentimentos de raiva, rancor e ódio. Por vezes é incontrolável;
* Soberba: Falta de humildade, alguém que se acha auto suficiente;
* Luxúria: Apego aos prazeres carnais;
* Preguiça: Aversão a qualquer trabalho ou esforço físico."

Então tá!!

 - Gula: não sou gulosa. Vez ou outra dá aquela vontade de comer algo mesmo que não haja a fome, mas são raros esses momentos. Na maior parte do tempo ouço minha mãe dizer que eu devia comer mais e melhor!!
 - Avareza: Um dia cheguei pra um amigo e disse assim: "estou ficando impulsiva por compras.. estou me estranhando.." e ele disse: "ahh, isso é normal, toda mulher é assim!". Então retruquei: "Mas eu não era assim!!! Isso não está certo!", ao que ele indaga: "Então só agora você virou mulher??!!!". Confesso que às vezes exagero, mas não acho que já tenha virado uma pessoa avarenta, há outras coisas que valorizo mais que dinheiro ou bens materiais, coisinhas que não tem preço..
 - Inveja: Já ouviram falar da tal "invejinha boa"? Aquela do tipo que a pessoa tá de boa e você diz descontraídamente "estou com uma invejinha boa de você!". Tudo bem, nenhuma inveja é 'boa', mas tem aqueles momentos que você se coloca no lugar do outro e pensa que seria bacana usufruir - mesmo que uma vez na vida - da vida dele, mas como eu disse, não é aquela fixação tipo vilã-de-novela-da-globo, e logo passa!
 - Ira: esse é um que eu tenho que melhorar. Tenho o péssimo defeito de guardar muitas das coisas que me desagradam ou chateiam. Então, num belo dia, quando o balão onde ponho esses sentimentos fica cheio e explode, eu acabo magoando muitas pessoas amadas, e geralmente não merecedoras da minha ira. Também estou tentando melhorar.
  - Soberba: Eu bem que queria ser auto suficiente às vezes, mas já percebi que isso é humanamente impossível. O que acontece é que às vezes passo essa impressão, mas felizmente não corresponde à realidade.
 - Luxúria: Não, não sofro disso. Só fico muito triste de  a mídia fazer o que faz com a cabeça das pessoas hoje, banalização do sexo e tudo o mais.
 - Preguiça: De todos os pecados, este é o mais comum. Tenho sim uns surtos dela de vez em quando, mas a maior parte do tempo fica difícil distinguir a preguiça do cansaço que sinto o tempo todo. :)

Caramba! Aconselho a todos fazerem isso aqui de cima. Realmente é uma tremenda auto análise, e ainda faz-me rir à beça, porque lembro que existem algumas pessoas que acham que sou uma santa, rsrsrs.

E os selos vão para: (!!!!)


1- Gaveta Aberta
2- Idéia com Acento
3- Nunca soube se prestava
4- Masquerade
5- Coisas e coisinhas
6- Foi desse jeito que eu ouvi dizer
7-.....continuando assim......
8- Blogat
9- Um blog pra relaxar, ou não!
10- Sinceras e apimentadas

Abaixo seguem os selos:

2º e 3º

             

3 comentários:

Postar um comentário

Confissões

Outro dia enviei um e-mail para alguém expondo alguns sentimentos (coisas por mim consideradas pessoais e que eu pensaria várias vezes antes de enviá-los a qualquer um).
A pessoa do outro lado ficou surpresa com o tal e-mail e disse-me que até podia ver-me em frente ao computador na dúvida se deveria ou não enviar...

Esse acontecimento me fez refletir sobre dúvida e medo. É interessantíssimo como queremos ser notados - é hipocrisia alguém dizer que não -, por mais que não queiramos um destaque nacional no horário nobre da Rede Globo, todo mundo gosta de receber um elogio vez ou outra, é uma maneira de saber que outras pessoas perceberam que você está ali, que sua presença faz alguma diferença.

Mas apesar de querermos isso, passamos a maior parte do tempo nos escondendo, sempre ficamos na dúvida de se vamos ou não agradar, ou em outras palavras, não vamos chocar e afastar alguém. Então entramos num paradoxo - ao menos eu entro =D - "quero aparecer, mas não sei se quero me mostrar", ou "quero aparecer, mas não sei se os outros vão gostar do que irão ver"...

Tudo bem, talvez eu esteja me preocupando demais com o que os outros dirão ou pensarão. Mas devemos levar em consideração que vivemos em sociedade, e que a opinião alheia conta sim. Claro que não devemos nos limitar a ser, pensar e/ou fazer apenas o que essa sociedade dita, mas geralmente o fazemos.

Dúvidas, medo, aceitação.
Algumas coisas poderiam ser mais simples, não?
Ou poderíamos simplificar mais as coisas... O chato é que isso tiraria o brilho da maioria das coisas.

8 comentários:

Postar um comentário

Selo

Olá a todos! Quantas saudades... Não me lembro de quando foi a última postagem, mas sei que me parece ter sido há muito tempo atrás; mas como sempre existe um porquê, essa minha ausência tanto de postagens quanto de comentários deve-se apenas à correria do dia a dia, trabalho, faculdade, etc.


E neste retorno é com muita felicidade que anuncio que ganhei meu primeiro selinho, e foi da Mile Corrêa do Gaveta Aberta!!

De acordo com as regras postadas lá devo repassar à dez pessoas e também contar à vocês um "lindo momento" de minha vida..Vamos começar pelos ganhadores (rs) e depois a história..  :)

  1. Afrodite para Maiores
  2. Espaço da Kadilza
  3. Desfilosofando
  4. Memórias da Lira Velha
  5. Merda, falei!
  6. O que você procura está dentro de você
  7. Ordem no Caos
  8. Sweet Delirious
  9. Pelo caminho dos plátanos...
  10. Blog Filosofia e Vida


Agora vamos ao momento....

Eu passei estes últimos dias pensando a respeito do que contar e digo que não é tarefa fácil escolher um momento especial que vale tanto a pena ser contado, mas a única coisa não me saiu da cabeça e acho que não há como não falar desse momento, foi quando li, logo no ínicio deste ano o tão badalado livro "A cabana"...

Me perdoem se o "badalado" ofende alguém, foi só uma maneira de dizer que para todos os lados que vou, sempre há alguém falando do dito cujo. Acontece que este livro chegou até mim por acaso, faz algum tempo que já não tenho aquela ânsia de ler todos os best-sellers anunciados por aí. Mas aconteceu que no auge do tédio das férias de início de ano o livrinho estava dando sopa do lado do telefone e eu na minha imensa falta do que fazer peguei para lê-lo.

Quem já fez tal leitura e tem um mínimo de sensibilidade sabe do que estou falando. Foi uma das melhores experiências da minha vida, me fez ver um bocado de coisas com outros olhos. Quantas vezes queremos culpar Deus de tudo, - tudo aquilo que não sai do modo como esperamos - e queremos também que Ele esteja lá apenas para cumprir nossas vontades; quantas vezes nos julgamos donos da verdade, senhores da razão... Mas mais ainda,  o livro foi capaz de mostar à esses olhos desatentos o quanto  mesmo diante de nossa tremenda estupidez Deus é grandioso e misericordioso.

Eu não sei porque alguém aí na História resolveu pintá-lo de mau, um Senhor vingativo que diante de nosso primeiro deslize estará pronto a nos castigar. Tenho a audácia de afirmar que é por causa de conceitos assim que muitos preferem distância e não a proximidade Dele.

Esse livro mudou minha vida? Ahh, acho que essa é uma frase forte demais, e pensando bem não é um livro que vai mudar o rumo das coisas, mas sim a atitude que escolhemos tomar diante do novo conhecimento que bate à porta. Portanto, esse livro trouxe novos horizontes para mim e escolhi ver várias coisas de outras formas e não me fez mal algum, além de proporcionar uma alegria nunca experimentada até então...

Pronto, contei! Agora quero saber dos meus indicados as histórias especiais.
Beijos à todos e até quando Deus quiser...

10 comentários:

Postar um comentário