Onda vai, onda vem


Antigamente, quando eu tinha tempo sobrando pra assistir TV, ouvir rádio e etc., eu gostava de dar opinião sobre tudo por estar sempre mais ou menos informada. Mas a vida adulta me chama (rs), e por esse motivo meu tempo diante da televisão reduziu muito - rádio eu não ouço mais. E o único momento que tenho é das 17:30 às 18:40 aproximadamente, período de intervalo entre meu emprego e a faculdade.

E justo nesse período é exibido a novela das 6 e Malhação(!!!!). Tudo bem, sei que já passei da idade disso, que assistir uma temporada é suficiente por dez anos porque o roteiro não muda. Mas por outro lado, podemos enxergar as coisas de maneira mais crítica.

E o que tem me chamado atenção nessa nova temporada (de Malhação) é o apelo desesperado para as coisas que fizeram sucesso a anos atrás. Está certo isso é que nem Moda, de repente calça de cós alto começou a fazer um tremendo sucesso como se fosse a descoberta do século. Mas é deprimente o que essas novas bandinhas tem feito com os "grandes clássicos" dos anos 80 e 90 (eu acho).

Dando um olhadinha lá na Wikipédia, tem um pedacinho que diz quais são as faixas do último Cd Nacional da série e vejam que encontrei 'Rádio Pirata' do RPM, 'Meu erro',dos Paralamas do Sucesso, 'Lanterna dos Afogados', 'Ciúme', 'Sonífera Ilha', 'A fórmula do amor', 'Serão extra', e o que dizer do 'Só você' que o Fiuk  regravou estragou??

Tem outras lá mas não sei dizer se são regravações ou não e também não fui conferir, né pessoal?  Mudanças sempre são bem vindas -embora eu não às aprecie muito- quando teoricamente são para melhor. Mas o que vejo são apenas pessoas que esqueceram de sair da adolescência e cortam seus cabelos de modo ridículo, enfeitam a voz até não poder mais, põe uma roupinhas escronchas e super coloridas (várias delas imitando aquelas dos anos 80 que eu via nos filmes da Sessão da Tarde quando era criança) e a garotada assiste a tudo isso (se) achando o  máximo. Toda essa preocupação externa, mas ainda assim faltando o principal: conteúdo.

O que me preocupa na coisa toda é o futuro. A maioria desses adolescentes parecem acreditar que essa fase durará a vida inteira, e que seus papais também estarão por ali. É difícil imaginar essa sociedade em crescimento como um grupo de adultos responsáveis e coesos.

Eu sinceramente gostaria que os tempos voltassem a ser como na época que minha mãe conta, havia limites e mesmo assim as pessoas eram mais felizes e saudaveis. Mas atualmente isso parece improvável, porque os interesses são outros. Quem possui o poder de influenciar as massas não está interessado em pessoas felizes e saudáveis, mas sim no que podem faturar sobre elas.

Eu defendo o equilíbrio em nossa vida. Devemos experimentar um pouco de tudo, até de cultura inútil, mas a partir do momento que isso passa a ser o 'certo', vejo que temos de rever alguns conceitos. Há uns três anos atrás eu acreditava que aqueles tempos de rigidez excessiva pudesse voltar - adolescentes de hoje (ou amanhã) que tentariam impor aos seus filhos o limite que não receberam- mas acho que já está na hora de eu procurar novas teorias sobre o futuro...

10 comentários:

  1. sem mudança o mundo não vai pra frente!

    ResponderExcluir
  2. Uauauuu Malhação só na academia, pq serie de TV não dá! Engraçado que minhas sobrinhas não ligam muito. Eu tambem tive um tempo que andava por dentro de tudo. Hoje ando por fora de tudo. kkkkkk
    Sabe o que acho pior de tudo hoje em dia? Engolir BBB affffffffff eu não consigo reformular os meus conceitos pensando neste quesito!

    ResponderExcluir
  3. concordooooooooo com vc!!!

    o mundo precisa de novas teorias para o futuro... a mídia precisa colaborar com o crescimento da humanidade!!!

    obs.adorei a ideia de discutir novelas c o meu best friend, Marcelão. acho q é capaz de render um post. vai ser em sua homenagem viu?! hehehe

    bjoooo

    ResponderExcluir
  4. Tá tudo a maior bagunça mesmo. O certo não importa mais. Todo mundo passou a pensar em como tirar a maior vantagem possível das situações e pronto. É sempre pensando em si mesmo! Terrível!
    bjos

    ResponderExcluir
  5. Oiii amiga! Esse é um ponto crítico. E temos realmente que tomar cuidado, porque é algo que facilmente contamina: futilidade.
    Como sempre, crítica e bem consciente!
    Beijos, te amo!

    ResponderExcluir
  6. Eu, como humorista, não como humorista de forma alguma, a não ser que seja a Mônica Iozzi; mas na condição de humorista, devo citar o sábio ancião Ari Toledo: "Não existe piada velha; o que existe é gente velha que já conhece a piada."

    Uma analogia serve para Malhação, que dá lição de moral e cívica pra rapaziada. É válido. Mas, pra nós, torra a querupita.


    =D
    Marcos

    ResponderExcluir
  7. Putz, lembro que qndo eu era pequena queria muito ter a idade das pessoas de Malhação! Rs.
    O que essa série exibe não é a realidade dos jovens daquela idade. Não mesmo. Mas, mesmo assim acaba influenciando muita gente.
    Concordo com você, Vi, vamos voltar no tempo! rs.

    ResponderExcluir
  8. Ah, esqueci de falar, agora é

    http://notas-descabidas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Sobre teorias..."quando não tinha filhos,tinha vááárias teorias de como criá-los.Hoje,tenho seis filhos...e nenhuma teoria"
    As coisas são mesmo mutantes e dinâmicas.É preciso reciclar quase todo o tempo.Bj

    ResponderExcluir
  10. Difícil entender o comportamento humano, tão cíclico e inconstante. Melhor é nem tentar, daí a gente não se assusta tanto, hahahaha...

    Beijos pra ti e um ótimo domingo!

    ResponderExcluir