Das coisas sobrenaturais...


Eu comecei a escrever esse texto as 06:00 da manhã (insônia desde as 03:30) ao som de "O anjo mais velho" d'O Teatro Mágico e não pude deixar de me lembrar de semana passada, quando li uma declaração do Fernando (Anitelli) sobre o fato de ter, no show feito em Portugal, cantado essa canção para o seu Anjo mais velho, que naquela data completaria mais um aniversário caso não houvesse partido ano passado em 28 de agosto (aniversário do meu pai).

Eu me recordo que no dia em que li a notícia, passei o dia inteiro afetada, um pouco triste, sei lá. Sabemos que a morte é algo natural, só o começo de uma nova jornada num lugar melhor, esperamos... No entanto, o vazio deixado pelo ente que se foi é algo impossível de se preencher.

Em parte, o motivo de eu ficar ainda mais comovida com a história do vocalista número um das minhas playlists atualmente, foi, é claro, a perda ainda recente e "inexplicável" da minha prima há pouco mais de dois meses. Eu tenho um texto relacionado a isso que pode ser lido aqui.

Eu não sei se você acredita nessas coisas sobrenaturais, mas eu soube um dia desses que minha tia, mãe dessa prima falecida, teve um sonho com ela, a Djane. No sonho, a D. aparecia de repente de detrás de uma cortina e abria o sorriso mais lindo! Minha tia conta que ficava maravilhada com aquele sorriso e ao tentar puxar conversa, minha prima lhe dizia que não tinha muito tempo, que precisava voltar logo, que só tinha passado para dar uma notícia: que vinha criança nova por aí.

(!!!)

Eu acho que minha tia ficou ainda de duas a três semanas intrigada com o tal sonho, até todos nós recebermos a notícia que daqui a alguns meses um mocinho chamado Davi virá se tornar o mais novo membro da nossa família abençoada! Isso é ou não é lindo? Só me faz crer ainda mais que para o Amor não existem fronteiras, nem de Vida ou de Morte.... Ou, como disse o Mitch Albon no livro As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu, "cada vida afeta a outra, e a outra afeta a seguinte, e que o mundo está cheio de histórias, mas todas as histórias são uma só"...

***

Esse  é um "causo" verdadeiro e particular, mas acredito que vale a pena ser compartilhado. Não foi o primeiro e tampouco será o último. Mas e você, tem alguma história dessas, meio encantadas, meio sobrenaturais? Como foi?


8 comentários:

  1. Virgínia, sim, eu creio. Naquele post que vc comentou no meu blogue, em que eu publiquei o gol da Rosana, 2 sonetos e minha nova teoria do movimento, bem, uma das conseqüências daquela teoria é a de que mais de um objeto pode ocupar o mesmo lugar no espaço em determinadas situações de vibração. Vc sabe que os espaços dentro do átomo são majoritariamente constituídos de vácuo, de modo que o mundo material é um grande vazio, então imaginar um mundo mais vazio não é tão absurdo; não é esse o caso da teoria, que tem a ver com a inércia relativa entre as massas, conforme vc pode ver pela dedução a que cheguei do intervalo de espaço mínimo e do período de tempo mínimo em que qualquer movimento ocorre macro ou microscopicamente, como se os movimentos do Universo não fluíssem feito água, mas feito uma engrenagem de relógio. Vc não acha que isso parece lógico: partindo o espaço e o tempo sucessivamente, há um momento que que chegamos a um mínimo. O que vc acha?

    ResponderExcluir
  2. Virginia, eu adorei e viajei no seu texto. Contudo, adorei o comentario do Marcos.
    Vamos, ao trocar informações e experiencias, aprendendo mais. Interessantissimo o que ele explicou ao fato que voce gerou.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelos comentários no www.desenhadinho.com são sempre muito pertinentes... E sobre os 50 tons de cinza também não li mas imagino o perfil das pessoas que lêem....

    ResponderExcluir
  4. Sissym, nossa, há quanto tempo! Eu me lembro do teu rosto no perfil google. =)
    Então, eu acho que o Tempo só como abstração não existe, por isso lá na fórmila do período de tempo mínimo, eu o associei a um espaço contido na velocidade da luz: espaço sobre tempo.

    BjóKawanami

    ResponderExcluir
  5. Sissym, que bom que você gostou do texto e ele vem a somar, como você mesma disse, informações e experiencias! Eu valorizo por demais essa troca, essa coisa de tentar enxergar a coisa com outros olhos, e assim como você, fiquei impressionada com a teoria do Marcos Kawanami.
    Eu confesso que da metade para o final da teoria eu já não consegui acompanhar muito bem o raciocínio (hehe, ó física!), mas a essência da ideia sim! E concordo demais, Marcos que esses 'milagres', essas coisas 'sobrenaturais' acontecem "de verdade no meio físico", ou seja, não é uma mágica sem explicação; como a explicação para o sumiço do corpo de Cristo do sepulcro descrito em Operação Cavalo de Tróia. Já leu? É muito bacana e mostra bem esse lado: não desdiz a história, no entanto dá uma explicação científica de como a coisa toda ocorreu. Boto fé!

    ResponderExcluir
  6. Viiii, eu acredito nisso e gostei muito do teu jeito de escrever .Foi bom te ler! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Olá Virgínia!

    Eu verdadeiramente não sei no que acredito, mas não costumo duvidar de nada. Quando sofremos uma perda de alguém tão próximo e importante, o que sentimos é vontade de acreditar. Porque não há consolo, livro, passatempo ou fuga para esta tipo de "falta". Acredito muito que há movimentos humanos que geram energia. A chegada de um bebê, então...!
    A vida é fantástica e misteriosa. Ou melhor, fantasticamente misteriosa.

    Bjs,

    Michelle

    ResponderExcluir
  8. Oi, Virgínia! Por onde você anda?

    Um comentário seu de um texto antigo meu me fez dar boas gargalhadas... Obrigada, viu?

    Bjs e não desapareça!

    Michelle

    ResponderExcluir