Um post Podre. Mas foi o que deu para fazer...


Tem aproximadamente um mês que estou morando em Palmas, capital do estado onde moro e nasci. E uma das coisas que não possuo aqui e que já era corriqueiro lá em Gurupi é a TV por assinatura. Nós aderimos a esse serviço há alguns anos atrás não só em busca de uma melhor qualidade de imagem, mas principalmente em função da maior oferta de programação. Porque, francamente, a programação da TV aberta é uma afronta à inteligência das pessoas, não é não?

Mas voltando à minha nova realidade. Sentei ali para jantar e estava passando o Fantástico (que deixou de ser Fantástico faz muito tempo). Era uma reportagem sobre venda de carteiras de habilitação. O dono do lugar foi filmado informando preços e tudo o mais, garantindo a entrega do produto e quando foi preso, ele teve a coragem de dizer que nunca vendeu carteiras de motorista.

Ãã? 

Peraê, né gente?

Daí eu olhei aquilo... Pensei... Pensei mais um pouco e concluí... Que a CARA DE PAU é uma ARTE! Porque, sério... Tem que ser artista, né? Pra ter coragem de negar o inegável? Eu não tenho essas coragens não. E tem vezes que eu até gostaria de dispor um pouquinho dessa cara de pau, pra ver se algumas coisas fluem um pouco mais. Mas não dá para irmos contra nossa natureza, né? Rs

Só que isso não sai da memória com facilidade. É tão triste essa perspectiva. Olhamos para todos os lados e vemos todos os tipos de coisas em todos os lugares sendo corrompidos. Parece um câncer, daquele tipo que se espalha por todo o corpo e por mais que se procure uma parte sã e ela parece não existir.

Eu sei que existem partes sãs ainda. Eu já tive contato com algumas dessas partes sobreviventes. E devo dizer que são elas que nos dão força dia a dia para seguir em frente, pra não desistir das pessoas mesmo diante de tanta coisa errada. Mas existem acontecimentos que realmente forçam a barra, não é, camaradas?
Outra coisa que vi no jornal foi um eleitor da Venzuela todo comovido porque essa seria a primeira eleição sem o Chávez em muitos anos. 

Poxa vida!

 É um absurdo ou não é?

Daí você para e pensa que não é absurdo, não. Uma vez eu li em algum lugar que o nazismo na Alemanha não aconteceu só por causa do Hitler. Ele foi o cara que deu a cara a tapa. Que subiu nos palanques e danou a pregar aquele tanto de abobrinha. Mas abobrinha por abobrinha, ele não teria conseguido que aquele movimento ganhasse a proporção que ganhou caso a população não fosse conivente.

E aí você fica pensando, comparando com tantos outros países que vivem sob o regime de ditadura e começa a se perguntar se não é tudo uma coisa só. Quem está de fora tente a alimentar a pena quanto às pessoas que vivem nesses países, reprimidas. Porém fica difícil você não pensar que é até merecido para esse povo passar pelo que passam. E isso vale para nós também. Infelizmente.

Se um louco chega ao poder e pinta e borda com uma nação, é porque essa nação permite. 

E esse quadro não vai mudar enquanto nós permanecermos sentados esperando que as coisas mudem.

0 comentários:

Postar um comentário